segunda-feira, setembro 27, 2010

Vida e obra

Seguraram-me com dedos firmes
Forçaram-me contra a parede
Inflamei-me da cabeça aos pés

Morri
Mas fiz o fogo para o café da manhã

quinta-feira, setembro 09, 2010

O blog Notas Mínimas, da jornalista catarinense Katherine Funke, virou livro



A coletânea de microcontos “Notas Mínimas” (128 pag.), de Katherine Funke, chega às livrarias em agosto em edição ilustrada por Enéas Guerra, com design de Valéria Pergentino, da Solisluna Editora. O livro já está à venda no site da editora e, em breve, estará nas principais livrarias.

Notas Mínimas” traz uma seleção dos melhores microcontos do blog homônimo mantido pela autora em 2007 e 2008. São narrativas curtas, mas capazes de proporcionar reflexões existencialistas, humorísticas e metafísicas. São textos em prosa poética que pretendem captar o que há de sublime na vida.

"Meus contos seguem a estética minimalista, isto é, narram com economia de palavras cenas fugazes de extrema beleza ou absurdo ", explica a escritora, que também é jornalista profissional. Em 2006, foi premiada no 3o. Concurso Tim Lopes de Jornalismo Investigativo e em 2009, uma reportagem em quadrinhos da qual participou como co-roteirista foi finalista do Prêmio Esso de Jornalismo, categoria revista / criação gráfica.

O poeta e jornalista Wladimir Cazé (“Macromundo” e “Microafetos”) assina a orelha da publicação, onde pontua: "uma sabedoria selvagem emerge destes aforismos, microcontos, crônicas em cápsulas e minirreportagens poéticas".

NA FLIP
Catarinense radicada na Bahia há oito anos, Katherine, 28, comemora em agosto o lançamento do primeiro livro e a seleção para participar da concorrida oficina literária da Festa Literária de Paraty (Flip), de 4 a 8 de agosto.

No momento, está escrevendo o romance “Maria João”, em parceria com Luis Claudio Daltro (projeto vencedor de edital da Fundação Pedro Calmon, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia).

SURREAL
Com design que remete à linguagem dos fanzines, o livro também se destaca pelas ilustrações psicodélicas e surrealistas de Enéas Guerra. O artista é co-autor de dois livros infanto-juvenis com o fotógrafo e etnólogo Pierre Verger, publicados nos anos 1980, e acaba de publicar “Vaporzinho” (Solisluna). Versátil, ilustra também outros lançamentos da editora, como "Margarida Bem Me Quer", de Débora Knittel.

Na 21a. Bienal do Livro de São Paulo, a Solisluna Editora está lançando um total de dezesseis títulos, entre literatura, literatura infanto-juvenil, cultura afro-baiana, história, livros técnicos e livros de arte.


Profecia

A noite abre as pernas devagar
Arreganhando no céu
A nudez negra da perdição

No profundo das horas
O lobo uiva suas porras
A madrugada orgasma

O arrependimento acordará cedo
Não fará a prece da manhã
A dar tempo para aquecer o café
E vestir a pele limpa dos cordeiros

À tarde, no pasto, morrerá.

quarta-feira, setembro 08, 2010

Autoelogio

Ajoelhando-se atrás dos montes
O sol venera a tarde
Google