sexta-feira, dezembro 31, 2010

Pelo Del Rocinante

O sr. Luiz Mendes, figura conhecidíssima dos donos de botequins, dos atendentes de motel, dos executivos da indústria petrolífera, dos leitores de Nietzsche, dos integrantes do grupo de poetas Zaragata, entre outros círculos (antis) sociais, agora está com o link de seu blog liberado.

Criado em 2006, o endereço nunca foi divulgado e também não aparecia nas buscas do Google. O blog era uma espécie de gaveta virtual, onde só o autor tinha acesso. Agora aberto para a humanidade, a profícua produção do poeta pode ser lida e comentada. Acesse http://pelodelrocinante.blogspot.com.

terça-feira, dezembro 28, 2010

Dois faróis

(um poema a quatro mãos, com Denise Warnecke)

Inútil lutar contra
vejo tudo depressa
na palidez do crepúsculo
simbólica distância
sou menos que desejo

noves fora dores
resta minha escolha
semblante em queda
meu rosto de asfalto
é impermeável à chuva

através da neblina
um sopro seco
um vulto de saudade
escorre pelos cantos

não lembro dos sapatos
das cores no semáforo
do cinza eterno do chão
vi teus olhos de trem chegando

eu, em descarrilo
sou menos que desejo
sou tudo que vejo
e não posso desver

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Véu das montanhas

Tenho a boca árida
A língua fissurada
A garganta deserta
Um céu de ar seco

Bebi os choros da noite
Bebi os orvalhos da manhã
Bebi as chuvas de verão
Mas ainda entardeço com sede
E ainda a sede me entardece

É meu castigo por estar acordado
Pela lucidez dos olhos abertos
Por escrever certo os silêncios
E gritar respeitando horários

Meu alento é uma brisa quase morta
Soprando duma árvore distante
Quando chega até o rosto
É quase um carinho de mãe
É quase um pingo de água

Isso explica a rouquidão
A escassez de palavras
O cuspe em sangue
O corpo de cão à sombra

Sei que o mar que me falta
É a cachoeira que procuro
Com águas tão sem cor
Quanto minha sede branca
Tão em queda quanto uma chuva

Deixo de caminhar na praia
E sigo ao encontro das montanhas
É onde dormem todos os sóis
E berço de todas as nascentes
Google